Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Mandioca’ Category

Cá por casa ainda não há crianças. E este 4 por 6 vem uma semana atrasado relativamente ao dia da criança. Mas enquanto tentava montar o prato para as fotografias ocorreu-me que parecia comida de brincar. De comer a brincar, pelo menos. Um prato assim, desconstruído, de onde apetece beliscar daqui e dali.

4por6

Esta semana portámo-nos um bocadinho mal. Trazemos uma sugestão que é assim quase prima do hamburger com batatas fritas. Que não tem nada de mal, de vez em quando. Nós somos grandes fãs de hamburger com batatas fritas. Mas comer fritos não é muito bom para a saúde, como todos sabemos. Olhem, foi o nosso pecado do dia da criança. Para fazer felizes as crianças que vivem em nós!

4 por 6 0806 II

.

Almôndegas de porco com chips sortidas

Almôndegas

  • 440g carne de porco picada
  • 4 colheres sopa de queijo parmesão (se for do fresco ralado na hora melhor ainda)
  • 3 colheres sopa de bacon ralado (usei o microplane)
  • 1 cenoura grande ralada fina
  • 3 dentes de alho ralados
  • 1 colher café de cominhos
  • 1 colher café de paprika
  • 1 colher chá de sal fino
  • 1 colher café de alecrim em pó (eu desfiz o seco no almofariz)
  • 1 pitada de piri-piri em pó
  • 1 ovo
  • farinha de mandioca para dar liga (ou pão ralado)

Num recipiente grande, colocar a carne de porco, as especiarias, parmesão, alho, bacon, cenoura e misturar tudo muito bem – primeiro com um garfo, depois com as mãos. Acrescentar o ovo e misturar. Ir adicionando aos poucos a farinha de mandioca (que usei por não haver pão ralado em casa) até conseguir uma massa moldável.

Moldar pequenas bolas (eu prefiro almôndegas pequeninas, daquelas que dão uma trinca, duas no máximo), que podem ser congeladas. Estes ingredientes fazem aproximadamente 45 pequenas almôndegas (sendo que, por pessoa, eu recomendo 10 para adultos e 8 para crianças).

Prefiro cozinhar as almôndegas descongeladas, sobretudo se não as vou cozinhar em molho (como faria para preparar um prato de pasta e almôndegas em molho de tomate). Portanto descongelei-as. Pincelei uma frigideira grande e anti-aderente com uma colher chá de azeite e quando estava quente acrescentei as almôndegas, que fritei/grelhei dos dois lados, até estarem cozinhadas por dentro mas não secas.

 .
Chips sortidas

  • 2 batatas grandes
  • 1 batata doce grande
  • 2 beterrabas médias

Com a ajuda do mandolim, cortei todos os tubérculos em fatias finas. Coloquei-os em água gelada durante cinco minutos. Escorri, sequei-os bem e fritei em óleo bem quente. Quando prontas, sequei-as bem em papel absorvente e temperei com flor de sal e orégãos.

.

Salada de alface e nozes

  • 1 alface média
  • 1 punhado de nozes
  • 5 colheres sopa de azeite
  • 2 colheres sopa de vinagre de vinho tinto
  • 1 colher chá de mostarda
  • sal

Lavei as folhas de alface, sequei-as bem e cortei-as em fatias finas. Acrescentei as nozes cortadas em metades e temperei com uma vinagrete feita com o azeite, o vinagre e a mostarda, bem batidos até formarem uma emulsão. Misturei bem e polvilhei com flor de sal.

4 por 6 0806 I

Cá em casa não somos os maiores fãs de almôndegas. Nunca as compramos já prontas. Nunca as comemos em restaurantes. Isso porque achamos que as almôndegas são sempre mal feitas. As dos restaurantes são feitas com restos de carne e, por isso, já perdem em sabor e qualidade. As congeladas… bem, essas não sei o que se passa com elas, mas a verdade é que não sabem bem. Por isso preferimos fazer as nossas. É muito fácil e num curto espaço de tempo fazem-se almôndegas suficientes para várias refeições, que se podem congelar e guardar para quando for mais conveniente. E se forem bem feitas e bem temperadas podem ser deliciosas. Estas são muito saborosas!

Os chips sortidos foram uma surpresa. A batata doce muito saborosa, a beterraba também. E as de batata, as normais, são sempre deliciosas. Eu também sou daquelas que tem um fraco por batatas fritas. Das boas, que das congeladas dispenso.

.

Para a sobremesa, cerejas de saco, as minhas favoritas, rijas e sumarentas e doces. Vieram directamente de Resende, do Festival da Cereja, onde os meus pais foram no dia 31 de Maio.

E as contas:

4 por 6 08-06

As cerejas não eram bem estas, mas até foram mais baratas. As contas estão feitas para as 45 almôndegas que consegui, sendo que aqui na receita se usará, no máximo, 40.

Read Full Post »

O Inverno está a chegar ao hemisfério sul. Aqui devia ser quase Verão, mas desde ontem que o sol está escondido atrás das nuvens que chovem sobre nós hora sim hora não.

Com a chegada do frio ao hemisfério sul, os blogues brasileiros enchem-se de sopas e comidas quentinhas e reconfortantes. Eu, que não resisto nem prescindo de sopa, mesmo no Verão, aproveito estes dias mais fora de época para me render a essas delícias.

Uma delas, que tem sido estrela em várias cozinhas, é a sopa de mandioca. Confesso que nunca tinha comprado mandioca. E as minhas poucas experiências com ela tinham sido no Brasil, onde a comi frita e onde vi como nasce, e no polvilho que compro para fazer o pão de queijo. Mas lá fui eu, cheia de coragem, estrear-me na compra da raíz.

De regresso a casa, com a ajuda de uma faca bem grande, cortei as duas grandes raízes em cubinhos. Numa panela grande refoguei em azeite vários dentes de alho e um pedacinho de chouriço, para dar sabor. Juntei os cubos de mandioca e um alho francês gigante, cortado em meias luas. Um bocadinho de sal, um copo bem grande de água e lume bem baixinho durante quase duas horas.

Enquanto estávamos enrolados no sofá, numa daquelas tardes preguiçosas em frente à televisão ou com um livro na mão, o cheiro da sopa foi-se espalhando pela casa. Até que me arrastou para a cozinha, como aquelas mãos de fumo dos desenhos animados, que nos levam a flutuar até à panela. Destapei, desliguei o fogão, juntei mais água e passei muito bem com a varinha mágica. Acertei água e sal e servi.

Sinceramente, não sei bem o que esperava. Algo parecido com creme de batata, talvez. Mas é completamente diferente. A mandioca, em sopa, tem uma textura sedosa, quase viscosa sem o chegar a ser. Faz um creme muito macio e uma sopa deliciosa. Provámos, gostámos e repetimos. E que bom que é experimentar coisas novas!

Read Full Post »